Portugal

Tudo sobre o pneu

O que compõe um pneu?

Michelin 18 mai 2010

Estrutura de um pneu

À primeira vista um pneu é preto e redondo, mas é muito mais do que isso.

O pneu MICHELIN é um produto complexo e de alta tecnologia, formado por vários componentes que utilizam uma grande variedade de matérias-primas. É um componente do seu veículo fundamental para a sua segurança.

A composição da borracha varia num mesmo pneu. Cada material tem propriedades muito diferentes cuja confecção exige uma grande precisão. Cada componente é concebido meticulosamente para conseguir a flexibilidade, a resistência, a aderência, etc. Também se utilizam muitos filamentos metálicos e sintéticos.


Structure of a tyre

Como é a estrutura de um pneu?

Um pneu é composto de muitos elementos e compostos.

1. Revestimento de borracha interior

É uma camada de borracha sintética estanque ao ar. Esta camada encontra-se no interior do pneu e faz a função de câmara-de-ar.

2. A carcaça

A carcaça é uma estrutura flexível formada por filamentos (têxteis ou de aço) engastados na borracha, que formam arcos rectos e se enrolam no aro do talão do pneu. Sobre a carcaça colocam-se o resto de lonas e camadas de borracha que formam o pneu.
As suas funções são:

  • Suportar a carga e a velocidade com ajuda da pressão.
  • Participar na estabilidade e no conforto.
  • Participar no rendimento e eficiência energética do pneu.
Numa carcaça de pneu de automóvel, existem cerca de 1.400 filamentos, cada um deles pode resistir uma força de 15 kg.

3. Zona baixa

Tem o papel de transmitir o binário motor (potência do veículo) em aceleração e travagem da jante para a zona de contacto com o solo.

4. Aro de talão

É a parte do pneu que se fixa e ajusta à jante. Está formado por um filamento de aço inextensível de forma e proporção variável segundo a dimensão e tipo do pneu.
Nele enrola-se a lona carcaça.
As suas funções são:

  • Fixar o pneu à jante.
  • Realizar a estanquicidade do pneu.
  • Transmitir o binário motor (a potência do motor do veículo) nos esforços de aceleração e travagem.
Um aro pode suportar até 1.800 kg. sem risco de ruptura.

5. Flanco

O flanco é a zona compreendida entre a banda de rolamento e os talões do pneu. O flanco representa a altura do pneu.
As suas funções são:

  • Suportar a carga
  • Suportar as constantes flexões mecânicas
  • Resistência às fricções e agressões.
  • Participar na estabilidade e no conforto.

6. Lonas de topo

Estão constituídas por filamentos metálicos revestidos de borracha. Posicionam-se sobre a carcaça formando uma cintura que garante a resistência mecânica do pneu à velocidade e à força centrífuga.
As lonas que formam a cintura cruzam-se obliquamente e colam-se uma em cima da outra. O cruzamento dos seus filamentos com os da carcaça forma triângulos indeformáveis, que garantem a rigidez do topo.
Estas camadas, que rodeiam todo o topo do pneu formando uma cintura, têm um papel muito complexo:

  • têm de ser bastante rígidas no sentido circunferencial do pneu para não se estenderem sob o efeito da centrifugação e para controlar perfeitamente o diâmetro do pneu, independentemente das condições de utilização.
  • também têm de ser rígidas em sentido transversal para resistir os esforços de deriva. Mas também têm de ser muito flexíveis em sentido vertical para "comer o obstáculo".

7. Banda de rolamento

A banda de rolamento é a parte do pneu que está em contacto com o solo e está formada por uma camada de borracha em que se realizam uma série de ranhuras que dão origem ao piso ou escultura.
As suas funções são:
  • Proporcionar a aderência (grip) em solo seco e molhado.
  • Duração e resistência ao desgaste e agressões.
  • Participar na baixa resistência ao rolamento.
  • Participar no conforto acústico (sonoridade no rolamento).
  • Participar no direccionamento e manobrabilidade do veículo.
  • Estética, que é importante para muitos utilizadores.
Na zona de contacto com o solo, a banda de rolamento sofre e suporta esforços muito grandes.
  • Turismo
  • 4x4 / suv
  • Veículos Comerciais
Loader