Portugal

Tudo sobre o pneu

O cultivo da árvore-da-borracha é um meio de vida para 30 milhões de pessoas por ano

Michelin 18 mai 2010

Meio Ambiente

Os fabricantes de pneus consomem quase 70% da produção mundial de borracha natural. A protecção e a conservação destes recursos naturais são garantidos pela sustentabilidade do cultivo da árvore-de-borracha (Hevea) graças a empresas como a MICHELIN.

Durante várias décadas a MICHELIN cultivou quase 21.000 hectares de plantações de hevea no Brasil e na Nigéria, o que equivale a 12% das necessidades mundiais de borracha natural da MICHELIN. Para proteger a saúde a longo prazo dos cultivos de hevea no Brasil, a MICHELIN investiu num programa de agricultura sustentável para gerar resultados sociais, meio-ambientais e económicos estratégicos. Estas explorações locais também realizam o processamento básico e plantam outros cultivos entre as fileiras de hevea, como o cacau e a bananeira. 

Proteger a diversidade das florestas tropicais

A MICHELIN também criou "corredores ecológicos" que ligam as três zonas de floresta atlântica para criar continuidade desde a costa até às zonas de interior que abrangem cerca de 3.000 hectares. Esta selva tropical, que originalmente se estendia por toda a costa brasileira, agora só mede 10% do seu tamanho original: o que a torna numa das selvas tropicais mais ameaçadas do mundo.

Estreita colaboração com cooperativas locais

A MICHELIN colabora estreitamente com os governos locais e com grupos defensores da biodiversidade para desenvolver estes corredores. Além disso, a MICHELIN desenvolveu plantações de hevea familiares proporcionando às explorações próximas (1.000 famílias) variedades resistentes de hevea obtidas com o programa de investigação de espécies dirigido pela MICHELIN e pelo CIRAD (Centro Internacional para a Investigação Agronómica e o Desenvolvimento). Com o aumento dos preços, em conjunto com outras matérias-primas, a comunidade local comprova que merece a pena ser produtor, garantindo o abastecimento.

Uma aldeia nova

A MICHELIN também doou 18 hectares de terreno para a construção de uma nova aldeia, chamada Nova Igrapiuna, principalmente para os cultivadores de borracha e suas famílias. A aldeia conta com modernos equipamentos de tratamento de água e inclui espaços verdes abertos, centro médico e escolas.

Programa de reflorestação

Após estudar o território e as suas espécies, iniciou-se também um programa de reflorestação. Mais de 1.000 hectares da nossa plantação de borracha da Baía deixaram de ser cultivados cultivar para proteger a selva virgem, a sua flora e a sua fauna. O projecto introduziu de novo espécies animais e incentivou o ecoturismo na zona.

Consciencialização ecológica

Para conservar o ecossistema, a MICHELIN, em conjunto com outras organizações (CETREL, BioBrasil e Tropical Nature Foundations) está a ajudar a mentalizar a comunidade regional sobre a importância da Ecologia. Para mais informação sobre este programa de educação meio-ambiental, visite http://www.michelin-hevea.com.

Investigação biológica e agrícola

Nas zonas em que se cultivam plantações de hevea, a MICHELIN também realiza investigações biológicas e agrícolas com os seguintes objectivos:

  • Melhorar as técnicas para a exploração da hevea para reduzir os custos de produção
  • Aumentar a produção das colheitas
  • Melhorar a qualidade da borracha natural
  • Combater as pragas da hevea

Combater as pragas da árvore-da-borracha

A MICHELIN colaborou estreitamente com diversas universidades, organismos científicos e de investigação para lutar com maior eficácia contra uma praga da América do Sul provocada pelo microcyclus ulei, um fungo que ataca as folhas da hevea brasileira e pode pôr em grave perigo as plantações da Ásia e da África. O fruto destas investigações permitiu seleccionar e reproduzir as variedades de hevea mais resistentes ao ataque dos parasitas. Durante vários anos doámos árvores-da-borracha jovens e resistentes ao fungo a agricultores vizinhos no Brasil. Só em 2006 doámos 200.000 árvores.

Conservação dos recursos naturais

Na Nigéria, as quatro plantações da MICHELIN também se comprometeram a proteger o Meio Ambiente. Os 500 hectares de selva tropical na plantação do rio Osse junto ao Parque Nacional Okumu (protegido desde 1999) consideram-se actualmente a última reserva de selva tropical no ocidente do país. Graças a esta plantação a MICHELIN conseguiu no ano 2002 o prémio da Nigerian Conservation Foundation (NCF) à empresa mais comprometida com o Meio Ambiente da Nigéria.

Reciclagem de pneus usados

Hoje em dia cada vez menos pneus usados acabam num aterro, pois desenvolveram-se novas possibilidades de reciclagem e cada vez mais pessoas está consciente das consequências meio-ambientais. A MICHELIN está firmemente comprometida com a luta pela protecção do Meio Ambiente e participa activamente num movimento comum dentro da indústria do pneu para incentivar a reciclagem no final da sua vida útil. Na Europa, deitar fora pneus inteiros é ilegal desde o ano 2003 e deitar fora pneus triturados é ilegal desde 2006.

Recycling

  • Turismo
  • 4x4 / suv
  • Veículos Comerciais
Loader