Como aumentar a autonomia de um automóvel elétrico?

Pretende melhorar a autonomia do seu automóvel elétrico? Descubra os desafios e as soluções para obter a máxima quilometragem do seu automóvel elétrico.

Como posso aumentar a autonomia do meu automóvel elétrico? 

Existem quatro formas essenciais que um condutor por aplicar para aumentar a autonomia do seu automóvel elétrico:

- estilo de condução
- manutenção do veículo
- carga e resistência aerodinâmica
- os pneus adequados para o carro elétrico

liv mich pilotsportev closeup master v04 njo

Adote um estilo de condução suave e de antecipação

O fator mais importante que afeta a autonomia média de um automóvel elétrico pode ser conhecido como condução ecológica.

A condução ecológica é o principal estilo de condução para otimizar o consumo de energia, tanto nas fases de aceleração como de desaceleração. Aqueles que aceleram rapidamente quando abre o semáforo e travam de forma abrupta vão registar um decréscimo na autonomia, face a um estilo de condução mais suave.

A velocidade também é um fator. A autonomia depende se está a conduzir na cidade, nos subúrbios ou a autoestrada. Quanto maior a velocidade de condução, mais depressa esgotará a autonomia. 

Respeite os prazos de manutenção do veículo

adobestock 127114466

Um aspeto que não deve ser esquecido, é que a autonomia do automóvel elétrico está fortemente associada à sua manutenção geral. Isto não inclui apenas as verificações de manutenção regulares com um mecânico, também implica os cuidados sazonais e a monitorização da pressão dos pneus do seu automóvel elétrico.

Por exemplo, o inverno pode afetar diretamente a autonomia do seu automóvel elétrico: quando fica mais frio, a eficiência global da bateria e do motor tendem a diminuir. Com temperaturas negativas, a autonomia também pode ser afetada. É por isso que muitos fabricantes oferecem a possibilidade de aquecer o automóvel antes de iniciar a viagem.

A pressão dos pneus do seu automóvel elétrico também é um fator que afeta a distância média que um automóvel elétrico pode percorrer. Conduzir com pressão insuficiente nos pneus vai levar a um consumo desnecessário de eletricidade, porque os pneus vão exigir mais energia para rodar. Já para não mencionar que os pneus com pressão insuficiente podem originar um desgaste prematuro…

Eliminar carga e resistência aerodinâmica desnecessárias

A autonomia depende da carga que o veículo está a transportar: quanto mais peso o automóvel transportar, mais energia será necessária para se deslocar. Ocorre, inevitavelmente, uma perda de autonomia. Assim, verifique se não transporta peso desnecessário na sua bagageira!

A aerodinâmica também é importante nesta situação. Barras de tejadilho, barras de bicicleta, entre outros, vão aumentar a resistência aerodinâmica, aumentar o consumo de energia e reduzir a autonomia. Para otimizar a eficiência do automóvel elétrico, se não for viajar de férias, retire quaisquer acessórios externos para obter a máxima autonomia do automóvel elétrico.

Equipe o seu veículo com os pneus adequados para o carro elétrico

Equipar o seu automóvel com os pneus adequados para o veículo elétrico é essencial para obter a melhor eficiência do automóvel elétrico em termos de autonomia. Os pneus desempenham um papel fundamental, especialmente através do que denominamos a resistência ao rolamento. Quando se pretende que um pneu role, é necessário dissipar um pouco de energia, e esta pequena quantidade de energia dissipada afeta a autonomia da bateria. Para simplificar: quanto menor for a resistência ao rolamento, maior será o valor de autonomia do seu veículo elétrico.

Assim, na Michelin, a resistência ao rolamento está no centro do design dos nossos pneus para automóveis elétricos:

No mercado de pneus de substituição premium os MICHELIN e.Primacy, aumentam a sua autonomia em cerca de 7% ou 30 km, para um veículo com uma autonomia de 400 km face a outros pneus na sua categoria (1)(2). Para o seu veículo elétrico de elevada performance, os MICHELIN Pilot Sport EV oferecem mais 60 km de autonomia (3)

Como é que sabe quais são os pneus que oferecem a melhor resistência ao rolamento? 

Como pode encontrar os pneus para carros elétricos mais adequados para o seu veículo? Em alguns países, como na Europa (em breve na China), existe uma etiqueta específica – como aquela que encontra num frigorífico, por exemplo. Nesta etiqueta, “Classe A” significa a menor resistência ao rolamento. Assim, se comparar pneus de “Classe A” com pneus de “Classe C”, vai conseguir mais autonomia com os primeiros.

Encontre os pneus Michelin perfeitos para si em segundos

AVISOS LEGAIS:

(1) - A categoria dos pneus MICHELIN e.PRIMACY é definida como um dos pneus de verão Premium, tais como os das marcas CONTINENTAL, GOODYEAR, BRIDGESTONE, PIRELLI, DUNLOP, e que não são dedicados a aplicações de Equipamento Original (ou seja, não são concebidos para atingir objetivos específicos de cada construtor automóvel), sendo pneus que podem ser adquiridos nos revendedores.


(2) - Aumento da autonomia da bateria dos veículos elétricos e redução de CO2 - Quando novos, os MICHELIN e.PRIMACY geram, em média, menos 2 kg/t de resistência ao rolamento do que os seus concorrentes, representando uma redução no consumo de combustível de até 0,21 l/100 km, equivalente a uma melhoria nas emissões de CO2 de até 5 g com o VW Golf 7 1.5 TSI ou equivalente, e a uma melhoria de até 7% em autonomia com o VW e.Golf.


(3) - Estudo interno de resistência ao rolamento efetuado em 10/2020, na dimensão 255/45 R19, que compara os MICHELIN Pilot Sport EV (6,7 kg/t) face aos MICHELIN Pilot Sport 4 SUV (8,8 kg/t). Para um veículo elétrico com um peso total de 2151 kg, com uma autonomia de 540 km, esta diferença de 2,1kg/t resulta num aumento da autonomia em mais de 60 km, ou mais de 10% da autonomia inicial.