Portugal

Guia de compra

Quando tenho de mudar os meus pneus?

Michelin 18 mai 2010

Quando tenho de mudar os meus pneus?

Os pneus verificados regularmente duram mais

É uma boa ideia verificar mensalmente a profundidade e o estado da banda de rolamento, a pressão, os danos nos flancos e qualquer sinal de desgaste irregular. Em caso de dúvida, consulte um especialista que lhe indicará se o pneu pode ou não continuar a rodar.

Seis motivos para mudar os seus pneus

Seguidamente, damos-lhe seis razões para mudar os pneus do seu veículo. Às vezes, o pneu pode-se reparar. A reparação dos pneus Michelin deve incluir um exame minucioso do pneu, que deve ser feito por um especialista. É fundamental desmontar o tampão da jante para comprovar se existem danos internos e a sua importância.

1. Furo

Os pneus actuais são muito resistentes e aguentam quase tudo, mas os furos são inevitáveis. Um especialista deve verificar o pneu depois de um furo para detectar os possíveis danos ocultos que poderiam fazer com que o pneu fosse irreparável.

Normas de segurança em caso de furo:

  • Pense primeiro na sua segurança e na dos passageiros, saia da via num lugar seguro
  • Accione o travão de mão
  • Desligue o motor.
  • Acenda as luzes de emergência
  • Ponha o colete reflector
  • Coloque o triângulo de sinalização na berma a 100 m. do veículo

Pense sempre na sua segurança. Conselhos para trocar um pneu furado

  • Leve no seu veículo um par de luvas resistentes
  • Leve um saco do lixo na porta-bagagens para o caso do pneu que tem de ser trocado esteja cheio de lama
  • Assegure a estabilidade do macaco para não cair.
  • Depois de trocar a roda e pôr a sobresselente, pode acontecer que a mesma não esteja bem insuflada, não conduza demasiado depressa
  • Vá à estação de serviço mais próxima e encha correctamente o pneu montado
  • Se as porcas estão mal apertadas podem danificar os discos de travão ou o sistema de montagem da roda
Dirija-se quanto antes a um especialista de pneus para que aperte de novo e adequadamente a roda. Se as porcas se apertam correctamente será mais fácil tirá-las

2. Quando os pneus chegam ao limite legal de desgaste

Deve-se comprovar com regularidade o desgaste dos pneus. - Mas, como se faz? Há uma maneira muito fácil de saber se os pneus estão gastos.

Legal limit

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nos pneus MICHELIN, o nosso boneco MICHELIN situado no bordo do pneu permite-lhe localizar o indicador de desgaste.

- Quando a altura da borracha do piso chega ao nível do indicador, é muito provável que a profundidade do piso esteja perto do limite legal de 1,6 mm., ou abaixo do mesmo. A Michelin recomenda mudar os pneus antes de que cheguem a esse limite. Para além de pouco seguros, poderia ser multado.

Embora o resto da banda de rolamento tenha mais de 1,6 mm., deve adaptar a velocidade e o estilo de condução às condições externas, especialmente em estradas molhadas.

Indicador de desgaste "inverno" 4mm (apenas para alguns países europeus com legislação particular).

Este indicador  de desgaste permite indicar a profundidade de piso restante de um pneu de inverno. Graças às lamelas 3D MICHELIN, distribuídas em toda a profundidade do desenho, o pneu mantém as suas performances abaixo deste indicador.

3. Sinais de envelhecimento

Os pneus não têm uma duração de envelhecimento previsível. Não importa quando se fabricaram. Há muitas circunstâncias que afectam a vida do pneu como a temperatura, a manutenção, as condições de armazenagem e utilização, a carga, a velocidade, a pressão, assim como o estilo de condução. Todas elas afectarão bastante a vida útil que se pode esperar de um pneu.

Preste atenção aos seus pneus

Por estes motivos, a Michelin recomenda aos condutores prestar atenção habitualmente ao aspecto externo dos seus pneus para detectar qualquer sinal de envelhecimento ou fadiga. Um envelhecimento excessivo dos pneus pode ter como consequência uma perda de aderência. Um profissional aconselhar-nos-á se os pneus ainda se podem utilizar ou não.

Demasiado velho? A prova dos cinco anos

Depois de cinco anos ou mais em serviço, os pneus devem ser inspeccionados pelo menos uma vez por ano. Se necessário, siga as recomendações do fabricante do veículo sobre a substituição dos pneus originais. Como medida de precaução, se os pneus não forem trocados em 10 anos desde a data de fabrico (ver como ler o flanco de um pneu), a Michelin recomenda trocá-los por outros novos, embora  pareça que podem ser utilizados e, mesmo não tendo chegado ao limite legal de desgaste de 1,6 mm.

Damaged tyre

4. Danos

Os pneus podem ficar gravemente danificados se chocam contra um objecto sólido na estrada como uma berma, buraco ou objecto pontiagudo. Aconselhamos que o pneu seja verificado por um profissional para detectar qualquer perfuração, corte ou deformação visível. Só ele nos pode dizer se o pneu pode ser reparado ou se tem de ser substituído por outro. Pela sua segurança, lembre-se de que os pneus danificados ou que tenham rodado com pressão insuficiente devem ser verificados por um profissional para comprovar qualquer dano interno não visível aparentemente.

O pneu não se deve reparar de modo algum nos seguintes casos:

  • Furos no flanco
  • Aro do talão à vista ou deformado
  • Borrachas ou lonas descoladas
  • Borrachas ou lonas com pregas
  • Deteriorações provocadas por hidrocarbonetos ou produtos corrosivos
  • Asperezas ou marcas das borrachas interiores provocadas por um rolamento a pressão insuficiente.

5. Desgaste anormal

Um desgaste anormal irregular, em alguma zona isolada, no centro ou nos bordos, costuma indicar um problema mecânico como alinhamento inadequado, problema de equilibragem, de suspensão ou de transmissão, etc., também pode ser provocado por uma pressão inadequada.

Para evitar um desgaste irregular é necessário verificar periodicamente o estado da direcção, amortecedores, travões, trocar os pneus de posição, etc. Sempre que se montam pneus novos ou usados, é preciso equilibrar as rodas e verificar o estado da direcção, se estiver mal, corrigi-la. Isto também fará com que os seus pneus durem mais e que a condução seja mais suave.

Causas habituais de um desgaste anormal do pneu:

  • Desgaste num bordo: roda desequilibrada ou mal alinhada.
  • Desgaste em ambos os bordos: pneus mal insuflados.
  • Desgaste ao longo da superfície central do pneu: excessivamente insuflado.

6. Se não são adequados para o veículo

Para conseguir os melhores resultados deve-se utilizar o mesmo tipo de pneu nas quatro rodas. Os pneus de diversas dimensões, fabrico e tipos de desgaste podem afectar a utilização, estabilidade e mecânica do veículo.

Não misturar nunca pneus radiais com não radiais

Também não se devem misturar pneus radiais com diagonais (não radiais) num veículo. Se se montam dois pneus radiais e dois diagonais num veículo, os dois radiais devem-se montar no eixo traseiro e os dois diagonais no eixo dianteiro.

Há muitas formas de encontrar os pneus mais adequados para o seu veículo. Se não sabe bem que pneus se adaptam correctamente ao seu veículo, utilize o nosso pesquisador de pneus. Se ainda tiver dúvidas, consulte um distribuidor Michelin.

7. O que é que diz a lei?

O Regulamento Relativo aos Pneus e à Sua Instalação nos Automóveis e Seus Reboques estabelece os seguintes requisitos:

Montagem dos pneus
- Todos os pneus montados num veículo, incluindo, quando aplicável, o ou os sobresselentes, devem apresentar a ou as marcas de homologação CE de tipo especificadas na secção V do capítulo I ou a marca de homologação que indica a conformidade com os Regulamentos UNECE nos nºs 30 ou 54.
- Todos os pneus montados num veículo, excluindo os sobresselentes de utilização temporária, devem ter a mesma estrutura, tal como definida no n.º 3 do artigo 10.º ao presente Regulamento.
- Todos os pneus montados num eixo devem ser do mesmo tipo, tal como definido no n.º 1 do artigo 10.º ao presente Regulamento.

Indicadores do desgaste do piso
- No caso dos pneus para automóveis de passageiros, o piso do pneu deve incluir, pelo menos, seis filas transversais de indicadores de desgaste, dispostas aproximadamente a intervalos iguais e situadas nas ranhuras largas da zona central do piso que cobre, aproximadamente, três quartos da largura do piso.
- Os indicadores de desgaste do piso devem ser de molde para não poderem ser confundidos com as saliências de borracha entre os frisos ou blocos do piso.
- Os indicadores de desgaste do piso devem advertir visualmente quando a profundidade das ranhuras correspondentes do piso estiver reduzida a 1,6 mm, com uma tolerância de + 0,6 / -0 mm.

Pneus especiais
O símbolo da categoria de velocidade dos pneus para neve deve corresponder a uma velocidade que será ou superior à velocidade máxima de projecto do veículo, conforme declarada pelo construtor do veículo, ou não inferior a 160 km/h, ou ambas; se a velocidade máxima do veículo, conforme declarada pelo construtor do veículo, for superior à velocidade correspondente ao símbolo da categoria de velocidade dos pneus para neve, deverá estar patente no interior do veículo, em posição de relevo, na linha de visão do condutor do veículo, um rótulo de aviso da velocidade máxima que indique a capacidade máxima de velocidade dos pneus.

ENCONTRE PNEUS DE AUTOMÓVEL MICHELIN

Obtenha uma recomendação selecionando as caraterísticas do seu veículo ou a dimensão do pneu e defina as suas condições de condução.

  • Turismo
  • 4x4 / suv
  • Veículos Comerciais
Loader